211 164 221
Dias úteis: 9:00 - 18:00
EN
portugal
  • COSEC >
  • Notícias >
  • Portugal fecha 2023 com um crescimento acumulado de 14% nas Insolvências

Portugal fecha 2023 com um crescimento acumulado de 14% nas Insolvências

Lisboa, 22 de janeiro de 2024 - De acordo com os dados da COSEC[1] – Companhia de Seguro de Crédito, o último mês do ano registou um aumento de 0,7% nas insolvências face ao mesmo mês de 2022. Em termos acumulados, o país fechou o ano com um aumento de 14% face ao mesmo período do ano anterior.

Em termos geográficos, em dezembro, a tendência no registo de insolvências continua a ser verificada em maior escala nos grandes centros urbanos do Porto, seguido de Lisboa, sendo que foi registado maior número de insolvências em ambos os distritos face ao período homólogo. Os distritos de Braga, Madeira e Viseu registaram o maior crescimento acumulado até dezembro.  

A análise por dimensão revela que as micro e pequenas empresas, com um volume de negócios inferior a 500 mil euros, continuam a registar o maior número de insolvências, mantendo a tendência verificada ao longo do ano. Os setores dos serviços, da construção, e do retalho continuam a registar os valores mais elevados em termos de insolvências no mês de dezembro.

“Assistimos a um ano de 2023 pautado por várias dinâmicas que originaram alguma incerteza a nível económico. Acreditamos que as tendências de crescimento homólogo nas insolvências possam ainda durar mais algum tempo até estabilizar, mas existem alguns indicadores que dão, para já, alguma expetativa de que possamos caminhar para uma estabilidade maior, como é o caso do crescimento do PIB e até da inflação. Contudo, sabemos que 2024 será um ano que começa com a continuidade de conflitos na Europa e Médio-Oriente, assim como com alguma incerteza, uma vez que os países que representam 60% do PIB mundial vão ser chamados às urnas. Acreditamos, por isso, que deve continuar a existir alguma cautela até o cenário económico e político ser mais claro”, afirma André Granado, Administrador Executivo da COSEC.

As últimas previsões da Allianz Trade*, acionista da COSEC- Companhia de Seguro de Crédito, estimam que o produto interno bruto (PIB) de Portugal deverá crescer 1,3% em 2024. Este valor representa uma ligeira revisão em alta face à anterior estimativa da líder mundial de Seguro de Crédito. Relativamente à inflação, a líder mundial em Seguro de Crédito estima que Portugal deverá fechar o ano de 2024 com uma taxa de 2,4%.

 

 

[1] Diariamente a COSEC recebe de agência de informação e procede ao registo informático de todos os Atos dos Tribunais, do Ministério Público e dos respetivos Conselhos Superiores relativos a todas as entidades que sejam Pessoa Coletiva ou Empresário em Nome Individual e que são publicados na Parte D da 2ª Série do Diário da República.

 



Portugal fecha 2023 com um crescimento acumulado de 14% nas Insolvências

Lisboa, 22 de janeiro de 2024 - De acordo com os dados da COSEC[1] – Companhia de Seguro de Crédito, o último mês do ano registou um aumento de 0,7% nas insolvências face ao mesmo mês de 2022. Em termos acumulados, o país fechou o ano com um aumento de 14% face ao mesmo período do ano anterior.

Em termos geográficos, em dezembro, a tendência no registo de insolvências continua a ser verificada em maior escala nos grandes centros urbanos do Porto, seguido de Lisboa, sendo que foi registado maior número de insolvências em ambos os distritos face ao período homólogo. Os distritos de Braga, Madeira e Viseu registaram o maior crescimento acumulado até dezembro.  

A análise por dimensão revela que as micro e pequenas empresas, com um volume de negócios inferior a 500 mil euros, continuam a registar o maior número de insolvências, mantendo a tendência verificada ao longo do ano. Os setores dos serviços, da construção, e do retalho continuam a registar os valores mais elevados em termos de insolvências no mês de dezembro.

“Assistimos a um ano de 2023 pautado por várias dinâmicas que originaram alguma incerteza a nível económico. Acreditamos que as tendências de crescimento homólogo nas insolvências possam ainda durar mais algum tempo até estabilizar, mas existem alguns indicadores que dão, para já, alguma expetativa de que possamos caminhar para uma estabilidade maior, como é o caso do crescimento do PIB e até da inflação. Contudo, sabemos que 2024 será um ano que começa com a continuidade de conflitos na Europa e Médio-Oriente, assim como com alguma incerteza, uma vez que os países que representam 60% do PIB mundial vão ser chamados às urnas. Acreditamos, por isso, que deve continuar a existir alguma cautela até o cenário económico e político ser mais claro”, afirma André Granado, Administrador Executivo da COSEC.

As últimas previsões da Allianz Trade*, acionista da COSEC- Companhia de Seguro de Crédito, estimam que o produto interno bruto (PIB) de Portugal deverá crescer 1,3% em 2024. Este valor representa uma ligeira revisão em alta face à anterior estimativa da líder mundial de Seguro de Crédito. Relativamente à inflação, a líder mundial em Seguro de Crédito estima que Portugal deverá fechar o ano de 2024 com uma taxa de 2,4%.

 

 

[1] Diariamente a COSEC recebe de agência de informação e procede ao registo informático de todos os Atos dos Tribunais, do Ministério Público e dos respetivos Conselhos Superiores relativos a todas as entidades que sejam Pessoa Coletiva ou Empresário em Nome Individual e que são publicados na Parte D da 2ª Série do Diário da República.