211 164 221
Dias úteis: 9:00 - 18:00
EN
portugal
  • COSEC >
  • Notícias >
  • RCEP: o acordo que consolida o comércio e as cadeias de valor da Ásia

RCEP: o acordo que consolida o comércio e as cadeias de valor da Ásia

Lisboa, 24 de novembro – O acordo "Regional Comprehensive Economic Partnership" (RCEP) foi assinado no passado dia 15 de novembro pelos dez países da ASEAN (Associação de Nações do Sudeste Asiático), Austrália, China, Japão, Nova Zelândia e Coreia do Sul.

De uma perspetiva geopolítica e simbólica, o RCEP mostra o compromisso da Ásia-Pacífico com a continuidade do multilateralismo e da harmonização. É o primeiro acordo multilateral de livre comércio a incluir a China, ilustrando o componente de "circulação internacional" do país.

De uma perspetiva económica, o impacto geral do RCEP pode ser moderado e espalhado ao longo do tempo. Enquanto a China, o Japão e a Coreia do Sul poderiam beneficiar mais do que outros signatários (como o RCEP agora cobre as relações bilaterais China-Japão e Japão-Coreia do Sul, anteriormente não sujeitas a acordos de livre comércio), o RCEP consolida e atualiza principalmente acordos de livre comércio existentes entre a ASEAN e os seus parceiros.

Consulte a análise da Euler Hermes, líder mundial em seguro de créditos e acionista da COSEC, e fique a conhecer em detalhe as linhas orientadoras deste acordo e o impacto regional e internacional desta decisão.

Saiba mais »

RCEP: o acordo que consolida o comércio e as cadeias de valor da Ásia

Lisboa, 24 de novembro – O acordo "Regional Comprehensive Economic Partnership" (RCEP) foi assinado no passado dia 15 de novembro pelos dez países da ASEAN (Associação de Nações do Sudeste Asiático), Austrália, China, Japão, Nova Zelândia e Coreia do Sul.

De uma perspetiva geopolítica e simbólica, o RCEP mostra o compromisso da Ásia-Pacífico com a continuidade do multilateralismo e da harmonização. É o primeiro acordo multilateral de livre comércio a incluir a China, ilustrando o componente de "circulação internacional" do país.

De uma perspetiva económica, o impacto geral do RCEP pode ser moderado e espalhado ao longo do tempo. Enquanto a China, o Japão e a Coreia do Sul poderiam beneficiar mais do que outros signatários (como o RCEP agora cobre as relações bilaterais China-Japão e Japão-Coreia do Sul, anteriormente não sujeitas a acordos de livre comércio), o RCEP consolida e atualiza principalmente acordos de livre comércio existentes entre a ASEAN e os seus parceiros.

Consulte a análise da Euler Hermes, líder mundial em seguro de créditos e acionista da COSEC, e fique a conhecer em detalhe as linhas orientadoras deste acordo e o impacto regional e internacional desta decisão.

Saiba mais »